LEGENDA Bora Ver: The Last Ship (1ª Temporada)

Após uma pandemia causada por um vírus dizimar 80% da população mundial, um destróier da marinha dos Estados Unidos descobre que seus tripulantes são os únicos que estão 100% seguros do surto, por estarem em alto mar. Então, acompanhados por dois cientistas que buscam a cura para o agente causador da nova doença, esse grupo é a única esperança para a salvação da humanidade da extinção eminente.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Baseada no livro homônimo de William Brinkley, The Last Ship se tornou a melhor série que vi nessa temporada de 2014, com um ótimo enredo que mescla ação com drama. Logo no início, pensei que seria mais uma série militar e quando fiquei sabendo que era produzida pelo Michael Bay que eu já tivera duas quase decepções esse ano, pensei: "Ai, ai...". Como eu adoro me enganar (rsrsrs).

A série estreou quase que na mesma época (ou próximo, não me lembro) da epidemia de ebola que está assolando a África, o que deu uma verossimilhança de um futuro apocalíptico. Afinal, como seria se um vírus sem cura se espalhasse pelo mundo e matasse mais da metade da população? Isso é o que faz a pegada de drama da série ser ótima, por que é uma coisa que mesmo sendo ficção, tem um traço na realidade.


Se você é como eu e pensou: "ahhh, mais uma série pós-apocalíptica" ou então "afff mais uma série de militares", te dou um conselho: não assista ao episódio piloto. Por que caso assista, inevitavelmente você acabara não conseguindo parar de vê-la.

Como já sabemos, nosso amigo Michael Bay tem um apego a explosões e com The Last Ship ele irá utilizar seus padrões nas tomadas de ação que deixarão qualquer um sem fôlego. À bordo do destróier USS Nathan James, seremos transportados a todos os detalhes que um navio de guerra pode oferecer, incluindo sonorização, música e efeitos especiais que foram muito bem aplicados e trabalhados.

Claro, que como qualquer outra série militar, temos os famosos conflitos militares, aqui, representados pelos russos que farão de tudo para se apropriar das pesquisas desenvolvidas pela Dra. Rachel Scott (Rhona Mitra), o que apenas ressalta o patriotismo americano. A série te deixa apreensivo a cada episódio. Quase que você não tem aquele momento de respirar entre uma tensão e outra, tudo por que o roteiro é bem construído e intercala as tensões de ação e as de drama, fora as pressões que são impostas ao Capitão Tom Chandler (Eric Dane). 

Quando o público consegue respirar um pouco, ocorre uma reviravolta que te deixa sem fôlego novamente e chega a ser angustiante (e muito).

Os conflitos pessoais também serão mostrados, de forma mais incisiva certas vezes e em outras de forma mais branda. Desse modo, vamos conhecendo cada tripulante, cada personagem...o que é muito engraçado, por que até aquela personagem que tem apenas uma fala, que conta apenas uma passagem da sua vida, quem deixou para trás, etc., você se apega e torce para que não morra.

Com um ritmo contagiante que desde o primeiro episódio até o último (que episódio foi aquele minha gente?), The Last Ship entrou para o meu Hall da Fama das séries, tanto pela ação, quanto pela emoção que os personagens que inicialmente podiam até ser considerados crus passaram. Claro que para variar, eu também tive que deixar várias lagriminhas escorrendo em algumas cenas...

Como é uma série pequena, vale o galinheiro inteiro vocês fazerem uma maratona The Last Ship, ai vocês me contam o que acharam, combinado? Abraços e até a próxima pessoal ^^

PS: Deem uma olhada no trailer e me digam se tem ou não tem cara de ser uma produção digna de cinema...


* As imagens retiradas da série The Last Ship, são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^


Nenhum comentário:

Postar um comentário