LEGENDA Bora Ver: Psicose

Marion Crane é uma secretária que para conseguir viver com seu amante, rouba 40 mil dólares da empresa em que trabalha e foge. Durante a fuga e em meio a uma forte tempestade, ela busca abrigo em um hotel que fica fora da rodovia principal. O estabelecimento é administrado por Norman Bates que é totalmente solícito com a moça. Marion resolve passar a noite no local e ter uma noite de sono tranquila antes de seguir seu caminho, porém, o que a moça não sabe é que sua estadia não será nada tranquila.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Alfred Hitchcock não recebeu a alcunha de mestre do suspense à toa. Entre seus filmes temos Janela Indiscreta (1954), Ladrão de Casaca (1955), O Homem Que Sabia Demais (1956), Um Corpo Que Cai (1958) e Os Pássaros (1963), no entanto, foi com Psicose que o diretor se estabeleceu mundialmente como o mestre do suspense. A história do filme não é original, ela é uma adaptação do livro homônimo de Robert Bloch, republicado recentemente no Brasil pela editora DarkSide (num trabalho primoroso, diga-se de passagem).


Uma das coisas mais interessantes de Psicose é que Hitchcock optou por filmar em preto e branco.  Sua justificativa para tal atitude foi que ele considerava o filme muito sangrento e não queria que o sangue tirasse o foco do filme. Também, a escolha desse tipo de filmagem se deu pelo fato de que a película foi gravada com o orçamento do próprio Hitchcock.

Um ponto marcante de Psicose é o fato da mocinha da história ser na realidade uma ladra, além do fato dela aparecer de sutiã na cama com seu amante. Nesse ponto já temos duas novidades para a época: a primeira ligada à desestruturação daquela que seria a heroína da trama e a segunda pelos padrões da época que criticaram a "nudez" da atriz.

Outro recurso utilizado pelo diretor que dá ao longa um ritmo maior de suspense e aflição é a narrativa em off. Durante a fuga de Marion, ouvimos as vozes das pessoas com que ela convivia, conversando sobre o seu desaparecimento e principalmente sobre a suspeita do roubo. A dinâmica favorece o ritmo do filme pelo fato de não precisar mostrar essas cenas para inteirar o telespectador do que está ocorrendo naqueles cenários. 

O filme é praticamente dividido em fases. Temos a primeira fase, em que Marion é a personagem principal, contudo, há um outro plano da história e é nesse momento que Norman Bates se torna o personagem principal. A interpretação de Anthony Perkins é impecável e ao longo dos diálogos, vamos percebendo suas mudanças de atitudes que seria sua característica mais marcante.


Então temos uma das cenas mais famosas da história do cinema: o assassinato no chuveiro. Aliado a uma trilha sonora tão famosa quanto a cena, temos vários cortes que juntos deram o impacto que o diretor queria. Entre as curiosidades dessa cena, está no sangue ser feito com calda de chocolate e a aparição de um vaso sanitário nos cinemas (sério!! Até antes dessa época, a censura proibia a aparição da louça nos filmes).

Falando da trilha sonora, Bernard Hermann fez um trabalho mais que primoroso, uma vez que, toda a sonoridade do filme impõe uma sensação de aflição enorme, o que aumenta ainda mais todo o ar de suspense que o filme transpassa.


Psicose foi indicado a 4 categorias no Oscar (direção, atriz coadjuvante, fotografia e direção de arte), porém, não faturou nenhum dos prêmios. O próprio Hitchcock foi indicado cinco vezes como melhor diretor, contudo, não recebeu nenhum Oscar nessa categoria. Ele iria receber o Prêmio Irving Thalberg em 1968 pela sua obra completa.

Com um final totalmente diferente e improvável, um desenvolvimento de personagens que cresce em paralelo com o suspense da trama, Psicose além de ser um filme belo artisticamente falando, provou que a genialidade de um bom diretor, aliado a boas interpretações, podem fazer um filme "B" se tornar o thriller número 1 dos cinemas.
Não se deixem intimidar pelo fato do filme ser antigo e/ou preto e branco, Psicose é um daqueles filmes que pelo menos uma vez na vida (ou todas as vezes), vale o galinheiro inteiro parar um tempinho para assistir.



* As imagens retiradas do filme:  Psycho, são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^


2 comentários:

  1. Fala Tiago,tudo bom?
    Cara, começo dizendo que eu não sou muito de assistir filmes, muito menos filmes em preto em branco. Sempre tive vontade de conhecer Psicose, mas nunca me animei a assistir ao filme. Quero muito conhecer a história por meio do livro publicado pela DarkSide (que é lindo, afinal...é DarkSide rsrs).
    Achei bem bacana os comentários que você fez sobre o filme, até deu uma vontadezinha de assistir... mas não vou assistir não kkkkkk
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Daniel beleza?
      Manoooo filmes preto e branco são puro amor ow...
      Uma coisa é certa: se algum dia animar em ver Psicose assista esse original, nada de refilmagens beleza? Recuse imitações ;)
      Abraços ^^

      Excluir