LEGENDA Bora Ver: Cinquenta Tons de Cinza

Anastasia Steele é uma virgem de 21 anos, que após entrevistar um multibilionário chamado Christian Grey, para o jornal da faculdade, se vê envolvida  por ele. Esse envolvimento se torna mais intenso, à medida que Christian também demonstra o mesmo padrão de sentimentos com relação à garota e logo, ambos estão em um relacionamento. Porém, em meio ao luxo proporcionado pela riqueza do rapaz, Anastasia é apresentada ao mundo do sadomasoquismo praticado por Christian e é nesse momento que ela terá que pesar seus sentimentos e avaliar se o que ela sente por Christian é forte o bastante para sustentar esse relacionamento.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Finalmente o trabalho idealizado pela autora E. L. James chega aos cinemas e certamente irá pipocar comparações entre o livro e o filme, isso é inevitável para o público, aconteceu com Percy Jackson, com Jogos Vorazes, entre tantos outras obras que foram parar na tela grande. Tem post sobre o livro no blog para ler, basta clicar aqui.


Caso você tenha estado fora do planeta Terra nos últimos 5 anos, provavelmente não saberá do que a história se trata, mas eu conto: é sim uma história entre dominador e submissa. Nesse contexto, Dakota consegue fazer o que seu papel exigia: uma garota virgem, sonsa, chata e irritante. Agora, a grande falha está no tão almejado pelas leitoras, o Sr. Christian Grey.
Jamie não consegue passar todo o ar dominador que seu personagem exigia para um filme cujo tema principal é o fetiche sádico.

Claro que a "má" interpretação do ator pode até ser que seja o resultado direto de um roteiro raso. Percebam que usei a palavra "raso" e não "mal adaptado". Tudo por que, o texto de E. L. James na obra original também é um texto fraquinho, com diálogos que beiram a infantilidade. Aliado a esse fato, tivemos também diversas cenas cortadas do longa, para que sua faixa etária fosse diminuída para abarcar um número maior de telespectadores.  


Todas essas nuances, fizeram com que o filme pecasse naquilo que ele se propôs e o resultado é a obtenção de um filme com sexo comportado. Percebam que isso não é uma crítica negativa. Particularmente gostei da forma como foi abordado as cenas de sexo, mostrando até muito mais do que estamos acostumados a ver no cinema (nenhuma parte íntima dos atores é filmada). Certamente o que irá levar muitas pessoas na sala de cinema, são as cenas de sexo e caso você vá assistir apenas interessado nesses momentos, poderá sair frustado.


A sensibilidade do diretor Sam Taylor-Johnson, fez com que as cenas de sexo fossem muito mais expressivas e belas do que o esperado, com ângulos que iam do plano aberto, às expressões corporais dos atores. Seios, bumbuns e alguns pelos pubianos são mostrados, mas é só isso, não deixando o filme com cara de pornográfico.
Até o ar de romance que é quase ínfimo no primeiro livro, é destacado no longa, o que dá ao filme um aspecto mais para Romance do que para Erótico em linhas gerais.


O que o filme peca no roteiro, ele certamente ganha em dois requisitos técnicos: trilha sonora e fotografia. Que trilha sonora é essa minha gente? Esplendida é um adjetivo mínimo. Todas as músicas e sons se misturam com o ambiente de forma quase como se um dependesse exclusivamente do outro para existir e o resultado é muito positivo. A fotografia também é muito bem trabalhada e constantemente temos alusões indiretas à cor cinza.

Por fim, Cinquenta Tons de Cinza consegue sim se destacar como um filme bom e que mesmo pecando na parte do roteiro, consegue se sobressair com aspectos técnicos bem desenvolvidos. Dakota que começa muito fraca, termina o filme se destacando sobre a atuação de Jamie, o que pode ser remetido ao amadurecimento da própria personagem. Se você pensa em ir ao cinema para ver um filme pornográfico ou uma versão fiel ao livro, Cinquenta Tons talvez não seja o filme certo para se ver, agora se você quiser ver um filme que é sexy sem ser vulgar, fica a recomendação e no meio do processo, ele ainda irá lhe tirar algumas risadas, por que sinceramente aquele roteiro...



* As imagens retiradas do filme:  Fifty Shades of Grey são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^

4 comentários:

  1. Fala Tiago, tudo bom?
    50 tons de cinza é um livro que não me interessa nem um pouco. Nunca li nada do gênero erótico e nem interesso em ler no momento. Apesar de toda a polêmica feita em relação ao livro, acho sim que deve haver uma história bem bacana por trás, porque se fosse somente sexo não faria todo esse sucesso.
    Quanto ao filme, que alvoroço ele tem causado =O Vejo tanta crítica ultimamente, algumas positivas, outras negativas, mas a maioria concorda com o mesmo ponto: o roteiro não ficou bacana. Eu achei bom eles terem amenizado o teor sexual do filme, uma vez que o foco deve ser a história.
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Daniel tudo bom?
      O grande problema deles terem amenizado o teor sexual do filme é justamente o fato do filme perder a essência dele, que até então era de um filme erótico e passou a ser uma comédia romântica (sim, comédia!!! kkkkk). Li o primeiro volume do livro para o Desafio do Skoob do ano passado e achei que seria bem pior do que eu pensava (dei 3 estrelas, por que ri bastante com ele hahaha). Abraços ^^

      Excluir
  2. Oi Tiago.
    Eu publiquei hoje a minha analise do filme no Mundo de Tinta e ela tem praticamente a mesma opinião que a sua. Achei a cenografia e a trilha sonora impecáveis assim como o destaque para Dakota. Jamie infelizmente como você não me agradou. No geral achei o filme bom mas também concordando com vc que o tom ficou muito suave com destaque para o romance em detrimento da relação sádica e conturbada.
    Não me agradou tanto.
    Ótima analise.
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luana tudo bom?
      Fui assistir com duas amigas, uma super fã da trilogia e outra que nem havia lido o livro e eu de neutro na história (apesar de ter lido o primeiro volume). O filme se tornou no final das contas uma comédia romântica com algumas cenas eróticas, não me agradou tanto também, mas consegui rir bastante :P
      Abraços!!

      Excluir