LEGENDA Bora Ler: Coming Up For Air - George Orwell


George Bowling, o herói deste romance cômico, é um vendedor de seguros de meia-idade que vive em uma casa de classe média suburbana com sua esposa e dois filhos. Um dia, depois de ganhar um dinheiro de uma aposta, ele volta para a cidade onde cresceu, para pescar uma lendária carpa de sua infância em um poço, porém, o que marcará seu feriado é um bombardeio acidental da RAF.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

George Orwell é muito lembrado por duas obras: 1984 e A Revolução dos Bichos. Ambas apresentam certa crítica política, mesmo que abordada de forma direta ou indireta e ambas ilustram a opinião do autor contra o totalitarismo, sobre o peso do governo sobre a sociedade e suas consequências. Lançado em 1939, Coming Up For Air é um livro que antecede os outros dois e nos mostrará uma outra faceta do autor

Escrito em primeira pessoa, a obra nos apresenta um Orwell desconhecido. Quem já leu 1984 e A Revolução dos Bichos perceberá a diferença na escrita, na construção de personagens e no desenrolar da trama, podendo a certo ponto, até se perguntar se realmente foi George que o escreveu. Mas foi.

Como personagem principal, temos George Bowling, relatado frequentemente como gordo, com um dente falso e roupas vulgares. Esse senso de masculinidade inadequada auxilia a aproximar George de leitores que fazem parte da parcela da sociedade que não tem o esteriótipo de beleza imposto pela sociedade e isso torna o romance mais legível e a utilização de personagens mais populares faz com que a fórmula utilizada por Orwell para retratar tramas sobre a repressão funcione tão bem, diferente talvez se ele optasse por escolher homens consideráveis e belos e mulheres elegantes.

Mas como disse anteriormente, Coming Up For Air não é um livro que irá abordar nada de repressão ou de cunho político. É sim um livro nostálgico, que irá mexer com nossas lembranças, mesmo que não estejamos passando pelos conflitos passados pelo protagonista. Acontece que George vive em uma área suburbana, é casado com uma mulher que não ama e tem dois filhos que ele ama.

Os acontecimentos do livro ocorrem de forma muito lenta e o leitor não sabe que rumo a história pode tomar, por que é apenas a história de um homem comum, sem grandes reviravoltas, sem vilões, sem magia e que por mais que não aconteça quase nada, a trama irá fisgar o leitor por que aos poucos, ela irá crescer dentro de você e sempre o fará voltar ao livro.

Havia falado que o livro não tem magia, isso é uma pura inverdade. Na realidade existe sim uma magia, mas uma magia real. A magia e a beleza real do livro são as descrições que o personagem faz de sua juventude até a idade adulta, uma fase que é perdida por todos nós, mas que fica fixado em nossas lembranças. Isso faz o livro ser tão especial.

O protagonista é um sobrevivente da Primeira Guerra Mundial e temos frequentemente o contraste sobre a segurança do mundo pré-guerra e da insegurança do pós-guerra. A visão futurista de Orwell de que esse evento mudaria o mundo para sempre e de que outra guerra era evidente é quase uma profecia.

Mesmo não acontecendo eventos muitos importantes para a história em si, nos importamos e muito com a vida de George e sentimos dó dele em determinados momentos, como por exemplo, quando ele faz os relatos de seu casamento sem amor e de como sua mulher adorável se tornou detestável após o matrimônio ou quando ele volta para sua antiga cidade e percebe que tudo mudou e muitos conhecidos já morreram.

Enfim, Coming Up For Air é um livro "esquecido" de George Orwell e que vale muito a galinha inteira ser conhecido. Não sei se ele chegou a ser traduzido, mas a leitura em inglês é muito tranquila de ser feita e até mesmo quem tem pouco conhecimento da língua, consegue acompanhar os acontecimentos de forma satisfatória. Recomendadíssimo!!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário