LEGENDA Bora Ver: Entre Abelhas


Bruno é um editor de imagens que após se separar de Regina e entrar em um processo de negação, começa a deixar de ver as pessoas. Ele tropeça no ar, esbarra no que não vê, até perceber que as pessoas ao seu redor estão ficando invisíveis. Com a ajuda da mãe, ele tentará descobrir as causas dessa situação e buscarão uma forma para reverter o caso.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

E mais uma vez, cá estou eu para falar (e indicar) uma estreia nacional nos cinemas. A bola da vez é o filme Entre Abelhas, estrelado pelo comediante Fábio Porchat. Logo, todas as pessoas que acompanharam o crescimento do ator no vlog Porta dos Fundos, irão para as salas de cinema preparados para rir muito, com mais uma ótima (ou não) comédia. A graça da coisa, fica por conta do filme não se enquadrar no gênero comédia e sim em algo próximo ao drama.



Para um ator que foi consagrado fazendo as pessoas rirem, um papel dramático é uma verdadeira prova de fogo, afinal, o público não pode rir das desgraças impostas pelos roteiristas ao personagem. E como desvencilhar a veia cômica de Porchat? Inconscientemente, ao olharmos para ele, já sabemos que uma piada virá em seguida, ou ao menos é isso que o público ficará esperando, por que mesmo que o filme tenha cenas engraçadas, estas claramente não são o foco da trama.

Após o término de seu casamento com Regina (Giovanna Lancellotti), Bruno (Fábio Porchat) ainda está um pouco desnorteado, sem saber o que acarretou essa separação e entre o processo de negação e o de aceitação, ele desenvolve uma condição que irá mudar sua vida de uma forma estranha: ele começa a parar de enxergar e ouvir as pessoas. Essa primícia por si só, seria um ótimo material para a produção de uma comédia, mas o diretor Ian SBF, juntamente com Porchat que também roteiriza a trama, resolveram se embebedar por outras vertentes.



O público associa a condição do personagem a algo que ele fez e que precisa ser desfeito para que tudo volte ao normal, como ocorre em Se Eu Fosse Você (2006), porém, aos poucos vamos percebendo que a coisa é mais séria do que pensávamos. Ao se doar a recuperar seu casamento, Bruno vai perdendo aos poucos sua individualidade, o seu "eu" próprio.  

Tanto a fotografia, quanto a trilha sonora do filme estão perfeitos e vão tornando a película mais cinza à medida que vamos avançando nele, nos possibilitando assim, acompanharmos o processo de transformação do personagem. Sentimos seus sentimentos a fundo e nos importamos com seus dramas, o que pode se dizer que seja a prova de que Porchat conseguiu se sair bem em seu papel.



Quando ouvi o termo "dramédia" pensei: como pode isso? Realmente pode!!! Mesmo apresentando uma tonalidade cinza, há algumas quebras aqui e ali. Essas quebras de tensão são proporcionadas por Irene Ravache e Luís Lobianco que são responsáveis pela parte cômica do longa. Irene interpretando a mãe sem noção que quer apenas ajudar o filho a se recuperar, está fantástica. E nessa onda de curar o filho, ela irá levar Lobianco para cenas que propiciam risos gratuitos.



Entre Abelhas é um filme bastante reflexivo, com uma pegada totalmente diferente daquela que estamos acostumados no cinema nacional e isso pode até mesmo gerar opiniões adversas sobre o longa. O filme apresenta inúmeras ideias espalhadas pelas cenas e abre um leque de interpretações do problema que Bruno enfrenta, desde a superficialidade das relações das pessoas hoje em dia a até mesmo com relação a perda da autoestima. 

No final, Entre Abelhas diferente de muitos filmes (nacionais ou não), se sobressai por não tratar o público como ignorante e por não fornecer respostas gratuitas. O próprio Bruno nas conversas com seu psiquiatra (ou seria psicólogo? Não lembro hahaha) irá fornecer ao público pistas sobre sua condição e caberá ao público chegar a sua conclusão individual no final do filme. Simplesmente brilhante!!!

PS: Me fala minha gente se um filme que tem I can see clearly now do Johnny Nash tem como ser ruim? 





* As imagens retiradas do filme:  Entre Abelhas são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^

3 comentários:

  1. Oi Tiago, tudo bem?
    Eu quero muuuito assistir esse filme! E olha que eu tenho certo receio de assistir filmes brasileiros, eihn. Que bom que você gostou!

    Você foi indicado pra responder uma TAG :)
    Blog Fofókices Literárias

    NÃO SEI SE FAZ ESSE TIPO DE POST . Se não fizer tudo bem. Vou entender :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mayla tudo bom?
      Hahaha nunca respondi TAGs não e muito obrigado por indicar. Respostas já estão à caminho ;)
      O cinema brasileiro tem umas coisas boas, mas fuja para as colinas se for ver certas "comédias" rsrsrs.
      Abraços ^^

      Excluir
  2. Estou bem curiosa com esse filme e sua opinião só me fez sentir mais vontade ainda.. eu preciso de umas duas vidas para ler e assistir todos os filmes e series que eu quero....

    ResponderExcluir