LEGENDA Bora Ver: Aos Treze


"Aos Treze" é um olhar corajoso que expõe a vida conturbada de adolescentes. Para Tracey, uma garota de treze anos e um boletim impecável, tem sua vida mudada quando Evie, a garota mais popular e bonita da escola se torna sua amiga e a leva para um mundo de sexo, crimes e drogas. Com interpretações fantásticas, essa conturbada história sobre o rito de passagem da adolescência é ao mesmo tempo chocante e persuasivo, e ficará na sua mente muito depois do término do filme.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Aos Treze teve 1 indicação ao Oscar em 2004 para o prêmio de melhor atriz coadjuvante, representado por Holly Hunter. O longa é baseado em uma história real e por ele iremos acompanhar as mudanças que a jovem e tímida Tracey irá sofrer ao entrar na adolescência. 


Tracey que até então era uma garota que brincava de bonecas, começa a se sentir deslocada na escola e sua deslocada para a popularidade é encontrada na amizade com Evie, que logo já encaminha a garota para o mundo dos furtos em lojas.

Ao longo da história Tracey vai deixando sua personalidade meiga e singela para trás e vai assumindo uma nova, mudando suas roupas e suas atitudes, se tornando mais violenta com a família e ignorando suas antigas amigas. À medida que essa nova personalidade vai se incorporando na garota, mais Evie e ela se tornam próximas. 



Evie que claramente se torna a figura da má influência, apresenta à Tracey, um novo mundo, cheio de perigo, violência, vícios, drogas e sexo. A relação se torna mais simbiótica quando Evie se muda para a casa de Tracey, dividindo espaço com a família da garota.
Quando paramos para analisar o filme é notório perceber que a intenção da diretora Catherine Hardwicke e da roteirista  Nikki Reed, era chocar o público e fazer com que Aos Treze se tornasse um filme de aviso aos adolescentes, o que torna o longa um amontoado de clichês de filmes nessa temática.






Também é possível perceber que todas as mudanças autodestrutivas sofridas pela protagonista, não são causados unicamente pela presença de Evie. A instabilidade econômica da família, a ausência do pai que não dá a mínima para os filhos e o novo namorado da mãe, são fatores que somados com a presença da amiga e com os conflitos da adolescência, geram todas as adversidades mostradas na película.


A movimentação das câmeras fogem do tradicional e chegam a estranhar. Hardwicke utiliza de movimentos bruscos de enquadramentos que remetem a filmes de produção independentes, o que torna a fotografia do filme bem diferenciada das produções que estamos acostumados.

A interpretação das atrizes principais está sensacional. Evan Rachel Woods se torna realmente uma adolescente chata, mimada e cheia de chiliques irritantes. Holly Hunter também segura as pontas no seu papel, tanto que foi indicação ao Oscar, mesmo não levando o prêmio. 


Além de ter sido indicado ao Oscar, o filme também foi nomeado a diversos prêmios, ganhando o de melhor direção no Festival de Sundance em 2003.

Por fim, Aos Treze não é um filme que se destaca nas produções, não é um filme de orçamento alto, beira a quase uma produção independente, mas que se torna um filme educativo, que mesmo tratando de assuntos como drogas e sexo, não é explicito, se tornando um ótimo filme para ser visto em escolas e dessa forma cumprir com o papel que parece ser aquele que seus idealizadores almejavam: alertar os adolescentes sobre as consequências de uma má influência.



* As imagens retiradas do filme Thirteen são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores ^^


Nenhum comentário:

Postar um comentário