LEGENDA Bora Ler: Pílulas Azuis - Frederik Peeters


Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.
Vale a pena ou a galinha inteira? 

Antes de qualquer consideração sobre a obra, é necessário dizer que Pílulas Azuis é um trabalho autobiográfico de uma preciosidade e importância social inigualável. Do mesmo autor de Aâma (2014) e vencedora em 2002 do Polish Jury Prize no Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême como melhor obra, Pílulas Azuis é uma compilação de alguns meses vividos pelo autor Frederik Peeters durante seu romance com Cati, uma portadora do vírus HIV.



Dessa forma o leitor acompanha de forma atemporal as fases desse relacionamento ao longo do tempo desde o primeiro olhar, o primeiro encontro, a revelação da soropositividade e até mesmo a própria compreensão da doença de uma forma tão delicada e tão tocante que em certos momentos você se coloca no papel e nas situações vividas pelo próprio personagem/autor. 

Após revelar a Frederik a soropositividade, o leitor sente toda a atmosfera do quadrinho se congelar, representando realmente a reação das pessoas ainda com a doença. Incertezas, medos e paranoias rodeiam o personagem de uma forma natural, da mesma forma que acontece com a maioria das pessoas, no entanto, mesmo com todas essas vicissitudes, o amor prevalece e a obra se torna um quadrinho com uma importância gigante para a comunidade pop.



Além de Cati, o filho dela também é portador da doença e a relação dele com Frederik é muito comovente. Frederik assume o papel de pai do garoto, cuidando e até mesmo temendo pelo futuro da criança ao crescer. É muito emocionante.



Outro ponto mostrado pelo autor são os conflitos psicológicos com relação ao casal e as pessoas externas do relacionamento. Como contar para os amigos, para os familiares que a pessoa que você ama, que você está vivendo e tendo uma relação amorosa é portadora do vírus HIV. Como manter uma relação quando sua própria autoconfiança é minada após o rompimento de uma camisinha. É inteiramente tocante a cena em que Cati revela a Frederik que ela não se perdoaria caso contaminasse ele.

Pílulas Azuis não tem o intuito de ser um livro didático, porém, assume uma parcela dessa característica quando, utilizando a figura do médico do casal, bem humorado por sinal, explica algumas questões sobre a AIDS. Questões que a sociedade até hoje enxerga com desconfianças e preconceitos. 



Pela HQ acompanhamos também parte da evolução no tratamento da AIDS até chegarmos as referidas pílulas azuis da qual a obra recebe o nome. Toda esse processo, juntamente com todo o conteúdo da obra e o epílogo de 13 anos após, no qual os personagens fazem relatos de como é a vida deles "hoje em dia" tem um peso enorme, pois fortalece a ideia de que mesmo que os pacientes sejam portadores do vírus HIV, eles conseguem ter uma vida normal, caso tenham devidos cuidados, como tomar os remédios regularmente. 

O traço de Frederik é simples, de certa forma até grosseiro quando comparado a outras obras que estamos acostumados. No entanto, da metade do livro (ou até antes) para o final, o leitor já estará entregue completamente a ele.

Pílulas Azuis não é uma HQ que te fará chorar (ao menos que você seja propenso a lágrimas), mas sim um trabalho que te fará refletir sobre muitas coisas. Ela se solidifica como uma obra sensível, comovente  e indispensável para qualquer amante de quadrinhos ou não. Ela se solidifica como uma bonita história de amor. Até o próximo post pessoal ^^

*  As imagens retiradas da HQ Pílulas Azuis, são puramente com o intuito de ilustração e divulgação. Todos os direitos das mesmas são de seus criadores. ^^


2 comentários:

  1. Adorei o livro e sua resenha!
    Estava doida pra ler e AMEI!!!
    E os extras então?!
    Bjks mil

    www.blogdaclauo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cláudia tudo bom?
      Obrigado ^^ Quando gostamos demais de alguma obra e inclusive favoritamos ela, se torna muito complicado expor todo o sentimento em forma de escrita e essa HQ entrou fácil fácil para as melhores da vida e olha que sou rato de quadrinhos rsrsrs
      Obrigado pela visita ^^
      Abraços!!!

      Excluir